Estância Eudóxia | Sustentável

Condomínio Estância Eudóxia | Projeto de Casa – Casa Sustentável

O belo terreno de 810m², plano e com frente de 23 metros, está localizado em um condomínio fechado em Barão Geraldo, um dos 4 distritos da cidade de Campinas. Os clientes, um casal de engenheiros.

O PARTIDO

A casa deveria atingir o máximo grau de sustentabilidade possível. O partido para este projeto surge da descompactação e interação de três volumes.

Projeto de Casa – Estância Eudóxia – Partido | 24.7 Arquitetura Design

Sua implantação sugere um melhor aproveitamento dos ventos predominantes da região, se abrindo na porção sudeste. Um dos grandes objetivos do projeto é a auto regulação térmica dos ambientes internos da casa, que devem ocorrer de forma natural e livre de aditivos tecnológicos. Para que possamos ter um projeto bioclimático é necessário gerar, acumular e transmitir de forma natural o ar fresco no verão, e o calor no inverno.

A orientação do volume da casa na porção Leste-Oeste com uma grande área de pátio central desempenha um papel fundamental para que se alcance o bioclimatismo do projeto.

Vidros orientados à face Norte-Sul, e o correto uso de alguns dispositivos, geram um pequeno efeito estufa no inverno, fazendo com que se eleve a temperatura interna para os meses de inverno, atingindo assim, as zonas de conforto. No verão, áreas sombreadas e com temperaturas reduzidas auxiliam transmitir o ar fresco para grande parte dos cômodos da casa.

O PROJETO SUSTENTÁVEL

O volume térreo frontal, suspenso 20cm do chão, traz além de leveza, ventilação natural ao escritório. O vazio da garagem se conecta com o pátio. A ideia é que ele possa ser o elemento de boas vindas em um dia em que se receba os amigos, transformado a garagem em um hall de entrada conectada à área social da casa.

Um elemento articulador entre o volume central e o volume dos fundos é formado basicamente por uma “biblioteca” que abriga duas grandes prateleiras lineares. Este elemento conector, iluminado naturalmente, funciona também como uma agradável área de leitura com vista para o pátio. Acima, uma cobertura ajardinada funciona como terraço da suíte do casal e como horta para consumo próprio dos moradores.

A escada neste projeto é tratada de maneira particular, já que se objetiva que ela esteja dentro da casa ao mesmo tempo em que participa dos acontecimentos externos a ela. Uma área de estar coberta pelo volume dos quartos e aberta lateralmente complementa o programa térreo. Este espaço, tratado como uma espécie de praça coberta, conectado em toda a extensão do terreno no seu sentido longitudinal, adiciona fluidez ao espaço térreo e transmite à casa a ideia de um espaço independente a ela.

No volume superior estão todos os dormitórios da casa. A disposição das janelas nas faces norte-sul juntamente com os caixilhos de vidro e os extensos painéis de madeira, proporcionarão iluminação natural e ventilação cruzada sem  abrir mão da privacidade.

Como suporte a todas as decisões de projeto tomadas para que tenhamos um projeto sustentável, a casa ainda contará com sistema de aquecimento solar para aquecer a água dos chuveiros e da piscina, sistema de reaproveitamento de água da chuva para fins secundários e cobertura ajardinada em grande parte da laje do pavimento térreo. Este sistema de cobertura verde proporcionará um maior isolamento térmico, permitindo assim que as temperaturas internas estejam sempre constantes e abaixo das altas temperaturas do verão, proporcionando um excelente conforto ambiental para a casa.

CARACTERÍSTICAS BIOCLIMÁTICAS

Para que conseguíssemos um projeto bioclimático, projetamos para os seguintes aspectos:

Sistemas de geração de calor

A casa bioclimática se aquece por si mesma de duas maneiras para evitar seu resfriamento no inverno:

1. Devido ao seu  isolamento térmico e dispondo a maior parte de sua superfície envidraçada a norte.

2. Devido a seu cuidadoso desenho bioclimático e orientação, a casa esquenta por “efeito estufa” e radiação solar direta.

Sistemas de geração de resfriamento

A projeto bioclimático permite que a casa se refresque por si mesma de três modos para evitar o seu aquecimento no verão:

1. Dispondo de superfícies envidraçadas ao sul e de proteções solares para a radiação solar direta e indireta.

2. Refrescando mediante a entrada de ventilação proviniente de espaços sombreados originados dos pátios gerados pela descompactação da casa.

3. Evacuando o ar quente ao exterior da residência por meio da convecção natural.

Sistemas de Acumulação (calor e resfriamento)

O calor gerado durante o dia no inverno (por “efeito estufa” e radiação solar direta) se acumula nas lajes e nas paredes interiores. Desta maneira a casa permanece quente durante toda a noite sem necessidade de consumo energético. As janelas devem permanecer fechadas.

O resfriamento gerado durante a noite no verão (por ventilação natural e queda de temperatura) renova a ventilação e se acumula nas lajes e nas paredes internas. Deste modo a casa permanece fresca durante o dia sem consumo energético.

Ventilação Natural

A ventilação da residência se faz de forma continuada e natural. A orientação e implantação da casa em forma de U permite que os ventos predominantes entrem  na casa, permitindo uma ventilação (cruzada em grande parte dos ambientes) adequada sem perdas energéticas. Janelas bem orientadas permitem uma continua circulação dos ventos a fim de refrescar nos dias quentes do verão e nos dias de alta umidade relativa do ar.

SUSTENTABILIDADE

A Casa Eudóxia faz parte de dez projetos selecionados pelo Green Building Council (GBC) Brasil Referencial CASA, que, depois de concluídos, servirão de modelo para outras construções com o mesmo conceito de sustentabilidade. A residência será a primeira casa totalmente sustentável de Campinas.

Para que atingíssemos uma arquitetura sustentável, projetamos para os seguintes aspectos:

Otimização de recursos

O projeto sustentável aproveita ao máximo os recursos naturais tais como o sol (para esquentar a casa e gerar energia elétrica através de painés fotovoltáicos), o vento (para refrescar e regularizar a umidade) e a água de chuva (para regar o jardim, descarga do vaso sanitário e limpeza das áreas externas).

O sistema de captação pluvial projetado para esta casa permitirá o uso da água da chuva em vasos sanitários, lavagem de áreas externas e irrigação do jardim, que inclui um telhado verde, e vai gerar economia que pode chegar a 60%. Apenas com os vasos sanitários essa economia é de 25%. O cálculo foi baseado considerando 5 usuários, cujo consumo médio diário é de 200 litros/pessoa, além da irrigação do jardim de 330 metros quadrados.

Diminuição do consumo energético

Neste projeto a casa se aquece por um pequeno “efeito estufa”, a água quente é gerada por meio de captores solares, a iluminação natural é predominante em todos os ambientes da casa, sendo necessária somente quando não houver mais luz natural e a ventilação é constante para  refrescar nos meses quentes de verão.

A residência será equipada com um sistema fotovoltaico de 2 kWp (kilowatt-pico) conectado à rede de distribuição pública de energia, que produzirá 3225 kWh/ano. Essa quantidade de energia representa 90% do consumo estimado para a residência, que é de 3600 kWh/ano.

Melhoria da saúde e bem estar dos usuários

A casa é ventilada de forma natural e aproveita ao máximo a iluminação natural, além disso conta com pátios descobertos gerando possibilidades de lazer para os usuários, criando um ambiente saudável e proporcionando aumento de qualidade de vida aos ocupantes da residência. Uma cobertura ajardinada permite também que os usuários cultivem seus próprios alimentos para consumo próprio, e ainda desfrutem como uma área de sol.

Entre outras soluções sustentáveis, a casa utiliza materiais com conteúdo reciclado (pré e pós-consumo); aquisição de materiais não distantes em um raio de 500 quilômetros que proporcionam redução de emissão de CO2, fomentam a economia local e diminuem a pegada de carbono; materiais certificados, como madeira de reflorestamento ou de reservas que cumprem normas de preservação; e uso de materiais não contaminantes, como tintas sem solventes.

LOCAL | campinas, sp 

ÁREA | 320m² 

DATA DE INÍCIO DO PROJETO | fevereiro 2011 

DATA DE CONCLUSÃO DA OBRA | julho de 2013